Quinta-feira, 12 de Julho de 2007

Á beira de uma falésia (continuação)

   Acabei por adormecer estava completamente esgotada, tinha acabado de salvar uma amiga da morte, tinha descoberto que ela estava apaixonada pelo mesmo rapaz que eu e não tive coragem de lhe contar que o meu rapaz mistério era o Pedro Lopes. As lágrimas caiam-me sem parar, a minha cabeça estava prestes a estoirar e o sono acabou por vencer-me.

   Acordei tarde, apesar de estar mais calma a minha cabeça estava a estoirar....mandei uma mensagem ao Pedro a pedir desculpas por não ter atendido, mas que estava com problemas familiares que quando pudesse ligava-lhe.

   Passei por casa da Sandra para saber como ela estava, encontrei mais calma, tinha tomado um duche relaxante e tinha adormecido, fiquei mais relaxada. Disse-lhe que estava com alguns problemas familiares que logo falávamos , pois tinha que os ir resolver. Dei-lhe um abraço forte e um beijo na face e ela retribuiu.

   - Bel obrigado por tudo, se não fosses tu acho que neste momento já não estava cá.

  - Sandra eu sou tua amiga, estou cá mesmo para isso. Quando precisares eu estou sempre cá, mas olha agora vou ter de ir andando, ainda vou hoje ter com umas primas minhas, temos coisas para resolver e talvez só volte para a semana.

  - Bel desejo-te boa sorte e espero que corra tudo bem e já sabes que apesar de estar um pouco mal podes contar comigo sempre tá

   - Eu sei e obrigado por tudo. Tens que ter muita força e esquece tudo, vais encontrar uma pessoa que goste a sério de ti.

  - Está a ser muito difícil, não sei como vai ser. Eu amo-o tanto.

  - Vais ver tu és forte e vais conseguir. Vá vou indo.

  - Boa sorte linda.

  - Para ti também.

   Saio da casa dela a correr, sinto-me péssima ela não merece uma amiga como eu. Arrumei algumas roupas, fiz a mala, peguei na chave do carro e sai de casa, acelero o carro, ligo o rádio e está a dar a minha música e a do Pedro, isto é demais, não aguento, coloco um cd, assim está melhor.

   Menti aos dois, não tenho nenhum problema familiar, mas sim um problema emocional e não vou ter com nenhumas primas, vou para a minha casa de praia é sempre para lá que vou quando estou mal, triste e preciso de tomar uma decisão importante. Não consigo parar de pensar no que aconteceu e o Pedro coitado ligou-me vezes sem conta, nem sei o que ele queria e apenas retribui com uma mensagem falsa.

   Baixo os vidros do carro e aumento o volume do rádio, o vento bate-me na cara, uma sensação que eu adoro, mas as lágrimas ameaçam cair brevemente e a dor que sinto no peito tornasse a cada momento mais forte. Sinto uma sensação tão má, sinto como se me tivessem cortado as pernas, sinto-me mal comigo própria, uma falsa, mentirosa, que não fui capaz de contar a verdade à Sandra e em vez disso fugi dela e do Pedro, fugi para a minha casa de praia, fugi ...!

   Chego a casa desfaço a mala e como ai não anoiteceu, visto o meu biquíni e vou dar um mergulho, sempre me ajudou nos momentos difíceis. Saiu da água e deito-me à beira mar, fico ali quieta a ouvir o vento misturado com o barulho das ondas a rebentarem, como estes momentos me relaxam. Quando vou para dentro de casa já a noite caiu, desligo o meu telemóvel, para pensar não posso falar com ninguém, atiro-me para cima da cama e todos os momentos que passei com o Pedro passam pela minha cabeça. Tivemos momentos espectaculares, sensações que nunca tive com ninguém, estávamos no caminho certo, apesar de ainda não termos nada sério, nada assumido, ambos sabíamos que isso iria ser brevemente, porque os nossos sentimentos estavam cada dia mais intensos. Mas agora olho para a frente e não sei o que fazer, o que dizer, tenho medo de o perder, medo da reacção dela, o medo atravessa-me a alma. Adormeço com as lágrimas a escorreram pelo rosto abaixo...!

   Acordo cedo e com a sensação de me ter passado por cima um comboio, vou correr à beira mar e dar um mergulho, hoje tenho que pensar muito...! E pensei, pensei em abalar e contar toda a verdade à Sandra sem dó nem piedade, mas eu não podia fazer isso.

   Comi qualquer coisa sentei-me na areia, peguei no telemóvel e liguei ao Pedro.

  - Estou linda? Estou tão preocupado contigo.

  - Sim Pedro, não fiques preocupado.

  - Como é que não queres que eu fique preocupado. Não atendes o telemóvel, só me mandas-te uma mensagem, desligas o telemóvel. O que se passou com a tua família.

  - Lindo temos que falar.

  - Que se passa?

  - Por telemóvel não dá para falarmos.

  - Tudo bem, eu também tenho uma coisa para te contar.

  - O que é Pedro??

  - É um pouco complicado, conto-te assim que for ter contigo, está bem?

  - Tudo bem. Podes vir ter comigo agora??

  - Sim, posso ir já. Estás onde?

  - Estou triste e tenho que pensar.

  - Ok, casa da praia.

  - Sim, fico à tua espera.

   Estou tão nervosa, ele de certeza que vai contar-me o que se passou com a Sandra, se ele me amar ele não vai esconder isso de mim. Mas...mas e se...se ele mudou de ideias e a quer a ela, o que eu vou fazer?? Bem não posso pensar assim, mas as lágrimas invadem os meus olhos.

   Vou mudar de roupa, arranjo-me ao máximo, apesar de não saber o que vai acontecer, quero que ele me achem linda, maravilhosa, perfeita, só para ele, porque apesar de tudo eu amo-o mais do que tudo nesta vida, ele é o homem da minha vida...!

   Por mais que tente eu não consigo tirá-lo da minha cabeça. não dá. começo a ouvir o carro dele lá ao longe, vou para a porta de casa, está lua cheia, o carro aproxima-se cada vez mais e pára, ele ainda não me viu, mas eu já o vi e posso dizer que está lindo, divinal. O rosto dele é iluminado pela lua que o torna ainda mais belo, ele vê-me e o meu rosto enche-se de felicidade, felicidade de poder voltar a vê-lo, ele sorri corre para os meus braços e dá-me um beijo nos lábios super ardente e apaixonado, sinto a protecção da lua e sei que vamos ficar juntos para sempre. Ele levanta-me no ar e anda comigo à roda, o meu sorriso é enorme e ele diz-me ao ouvido que me ama e que sentiu tanto a minha falta.

   Eu sinto-me mais segura e louca de paixão por ele, o meu coração bate com tanta força, dou-me um beijo longo e abraço-o com tanta força, ao mesmo tempo que lhe digo que o amo e que nunca ninguém nos vai conseguir separar.

  - Nunca ninguém te vai tirar de mim Bel, porque eu amo-te e vais ser minha para toda a eternidade...podes ficar calma. E por isso que temos que falar.

 

Continua... porque agora vou ver a minha série preferida.

 

Obrigado por todos os que me aconselharam ajudaram muito para o desfecho.

Beijocas a todos Bel.

 

  

publicado por Bel às 17:26
link do post | Deixa aqui o teu sentimento | favorito
|
1 comentário:
De olha_por_mim a 13 de Julho de 2007 às 10:37
Olá!!!!
Lindo mesmo...como te disse ninguém tem culpa de amares o mesmo homem da tua amiga...ambas o amam sem saberem por isso aqui ñ há nenhuma traição...
Já imagino o final...e fiquei muito feliz pelo que contaste aqui hoje...enquanto estava a ler algo me dizia q isto iria acontecer...
Beijocas grandes e muitas felicidades

Deixa o teu mel

.mais sobre mim

.Fevereiro 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28

.pesquisar

 

.posts recentes

. Noite!

. ...

. De volta

. ...

. ...

. Ele dorme...

. Tristeza... ela vem...

. Um sonho... um momento es...

. Esta...

. Quando se ama...

.Baú dos Segredos

. Fevereiro 2014

. Janeiro 2014

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

.tags

. todas as tags

.links

Caixa Postal